CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Sem destino mesmo.

Quem disse que o amor é belo, nunca teve um amor não correspondido. O amor é coisa de gente perdida, abandonada num globo de sentimentos, de quem não cansa de testar novos atalhos que os levem até o coração. Que coração? Que coração estúpido é esse que só te machuca, batendo sempre na mesma tecla, pulsando de forma incorreta? Seria bom se ele não existisse, se sorrir fosse produto de outro meio de viver, não o desfecho do trajeto do sofrimento, não vale a pena, não muda, só te arrepende, te faz querer regredir, a vida é tão curta pra renunciar tudo, e amar sem resposta. Difícil é tentar se mostrar pra alguém que não te enxerga, e esquecer que passou despercebido, que você não alterou absolutamente nada na vida de um outro alguém, daquele outro alguém... Você se desalinha dos planos da sua vida, querendo ser um ser ideal para aquele que seus olhos acusam ser o mais belo pra você, aquele que te faz chorar e ainda assim te deixa bem por dentro, só pelo fato de que você sabe que ele existe, e ao mesmo tempo te deixando frustrado por não ter dito tudo que queria quando se encaravam frente a frente. Corra todos os continentes sem destino mesmo, se a sua dor for achar que o mundo não é mais seu por não dizer todas as palavras que este mesmo mundo te ofereceu quando teve a oportunidade, prove o contrário, dê a cara a tapa, afinal de contas, você chegou até aqui, cansado e quase sem esperanças, mas está aqui, e voltar atrás não satisfaz o seu vício de amar.

3 comentários:

Fotolog Algemadas disse...

penso como vc viu

só me ferro em relacionamentos =/

Gabriele Varão disse...

"Um vício. Suplico que me maltrate, que me odeie. Deste jeito, ainda resta a possibilidade de não continuar a gostar de sofrer. Eu preciso acordar, preciso reabilitar-me.
Vou sobrevivendo e sofrendo em silêncio. Como pode alguém, tão diferente de mim e de todos, ter este poder de me prender e me fazer desejar ficar amarrada neste insucesso previsto?
No fim, tudo resulta na minha covardia. Não arriscar destruir a barreira concreta, que me limita e me aproxima, é exatamente o fruto de minha falta de coragem de falar, de agir.
Talvez este seja o motivo de meu encanto. A indisponibilidade.
Simplesmente eu amo, eu sofro e eu vivo. E, por ora, isso que me mata, me basta."
_ Lembrei disso.

Hellen disse...

quase me fez chorar ._.
to em um momento... xápralá