CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

domingo, 26 de dezembro de 2010

Happy birthday, Hayley Nichole Williams {♥}³

This is the 5th anniversary that I know of your existence, and the 4th that I'll pay tribute to you. Every year I tell you something new, something bigger to be proud, this year couldn't be different. It seems that my dreams as a fan, took place with complete success, the Paramore really grown, and much, you become more beautiful each day, continued renewing the hair (something which I love), arranged to rumors for your career, but it is part of fame, what true artist don't cause it? hahahaha The fact is that I am your disciple, and if you being wrong or not, I feel I'll always with you, that is: I recognize if you make mistakes, but I never will judge you, after all, you have your reasons, your desires, your life, and I'll always be here to support you at all!
You taught me, so indirect, that we should always follow our dreams, no matter how crazy or absurd it may seem, it is not impossible. And you know how you taught me? Realizing a dream of mine that until then I thought that would be improbable, I remember the rush that was that Saturday in May, where I spent the whole day flooding you, to make you read my virtual letter, and after hours and hours and hours insistently at the computer, I finally got make you read, and more: I was answered with a direct message on twitter. You know, I thought this was too much to be true, but it was real, IS real. But not only because I received a response from you, but for what you told me. You are wonderful, and if you does not know, should know. You're example, you're beautiful, you are overcoming, you're inspiration, you're life! Can not wait for February 20 next year, I'll do anything to see you, give you the hug of my dreams, I could look you closer, and say how much you mean to me, how important you are in my life.
Please don't change, ever! Only improve as you has done ever! You're going the right way, is reaping the fruits that you planted in the past, and I'm here from afar, but smiling along with you, because your joy is contagious, and your happiness is also mine, to be sure! Today, 22 years old with very experienced, wish you 22 more years, but 30, 40, 89274872658732 years (kidding), that you be happy forever, that you carry out all its dreams, and grow up more, that you earn more money, but always with your feet on the floor, that you find peace in your life, much love, and all the other wonderful things that a person as you could want, and that in fact, deserve!
Hayley Nichole Williams, congratulations on your 22nd birthday, I really love you so much!
Thank you for simply existing.

With love,
@annemia

I'm sorry for my grammar mistakes, my english is terrible!
hahahahaha

sábado, 25 de dezembro de 2010

Merry Christmas!

Natal. Um dia qualquer como os outros, talvez. Nunca tive espírito Natalino, mas isso sempre foi muito natural, ninguém precisou me contar que o Papai Noel não existe, e isso foi diminuindo gradualmente, na medida em que a sociedade despreza cada vez mais o real significado do Natal, isto é: Hoje, o Natal é sinônimo de música alta, gente bêbada, gula em excesso, ego, sexo... Somos nós que esculhambramos com o significado desta data, a tendência é que daqui há alguns anos ninguém mais lembre de Cristo no Natal, mas enfim... Eu também não sou um grande exemplo de cristã, como disse, não tenho esse espírito Natalino, me sinto solitária, mesmo com minha família, o Natal me faz pensar em mil coisas ao mesmo tempo, e me trás um flashback de coisas não muito agradáveis que ocorreram durante o ano, infelizmente, sinto que esse mesmo flashback voltará no reveillon, mas isso é uma outra história, uma outra lamentação, para um outro post.
Se você sente: Feliz Natal!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

10 - More em mim.

Ontem, hoje, amanhã, o pensamento não muda, não importa em qual direção eu vá, qual cor escolha, em qual clima esteja, seja lá qual estação, para cada lado que olho, por cada brecha, lá está você, brilhando pra mim. Mas eu precisei de você, agora há pouco, talvez, e você não estava lá, nem esteve aqui, você nunca está presente quando preciso de ti. E agora, falta tão pouco pra eu desistir... Na verdade, sempre penso em desistir, dois minutos mais tarde desisto de desistir, e volto pra estaca zero. De que vale então essa esperança sem força? Porque acreditar eu acredito, mas nunca se concretiza aquilo que canalizo em mente pro lado positivo. Seria perca de tempo então acreditar nas coisas do mundo? É perda de tempo uma criança passar os dez primeiros anos de vida acreditando em Papai Noel e Coelho da Páscoa? É, o Natal está aí, e tudo que eu queria para este dia... Era você. O ano virará em dez dias, DEZ dias, não dez semanas, nem dez meses, não apenas dez dias, e tudo que eu queria era massacrar de uma vez por todas, toda essa saudade acumulada que sinto de você, que me fere grave e profundamente, me destrói por completo, mas que por um lado, me prova duas coisas: que eu realmente sou brasileira, e não desisto nunca, e que essa dor que sinto, por pior que seja, prova que você existe mesmo, e mais que isso: que mora em mim.

sábado, 11 de dezembro de 2010

20 - Esperanças desequilibradas.

Todos aqueles caras que se equilibram em cabos de aço há vários metros de altura, deveriam ser chamados de 'esperança', e te digo o por quê. A minha contagem regressiva passa insistentemente rápida e sem muitas boas novidades. Isto é, volta e meia digo 'o ano de 2010 foi péssimo', e passei a pior sequência de sete meses e seis dias, algumas coisas, por mais simples e despercebidas que sejam, fazem toda a diferença na vida de alguém, na minha vida, falta você. O ano está para virar, as festas de final de ano estão aí com força total, mas eu não. Eu não ligo pro Natal, infelizmente - ou talvez não - eu não tenho o tal de espírito natalino, mas todas as viradas de ano, meu peito se enche de paz e de ótimas energias, eu sempre reflito sobre o ano que tive, e desejo de todo coração para que o ano que está para nascer seja tão fantástico quanto os outros (exceto o de 2010), e é nessa hora, enquanto os fogos ardem no céu, que eu penso em todas as pessoas mais importantes da minha vida, mesmo que eu não queira, els vêem automaticamente em minha mente, e você, definitivamente é uma dessas pessoas, e eu me sentirei a pior pessoa se eu não for capaz de te ver, e te dar o maior abraço do mundo, porque você faz falta, e esse ano eu nunca te olhei e disse 'eu te amo', preciso fazer isso antes que meu tempo acabe. Mas voltando ao assunto 'esperança', este é um sentimento desequilibrado, uma hora ele está alí, totalmente presente e te motivando para seja lá o que for, e na outra, ela simplesmente evapora. Balança de um lado pro outro, e dificilmente se alinha, como os equilibristas de cordas de aço. É uma comparação tola? É. Mas faltam apenas 20 dias, e minha esperança continua desequilibrada.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

30 - Menos uma chance.

Sabe quando você recebe uma boa notícia e se enche de alegria por dentro? Não dorme sem deixar tudo no lugar porque no dia seguinte acontecerá algo que você espera por muito tempo? Algo como meses? Você separa as roupas que vai usar no dia seguinte, deixa bolsa, mochila, com tudo que vai precisar, ainda sim, com tudo preparado, se programa pra acordar um pouco mais cedo no dia seguinte, coloca logo dois alarmes pra garantir que não perderá o horário. Acordar com um ótimo humor, mas o cabelo bagunçado... Vai até o banheiro, escova os dentes, lava bem o rosto, passa aquele café e se arruma de modo impecável. Faz o que tem que fazer na sua rotina normal, e quando dá a hora certa daquilo que você quer, abre o maior sorriso e deixa nascer toda aquela esperança de que vai ser tudo muito lindo. Então você pega seu celular pra dizer "estou saindo", mas nota que perdeu uma mensagem, decide ler, e quebra a cara! "Nossa, parece que nem vai dar certo lá hein?" Seu sorriso é derrubado por uma avalanche de frustração, corre de um lado pro outro tentando achar alguma brecha pra que dê tudo certo de novo... E não dá! Aí você senta e tenta se conformar, faz bico, xinga em pensamento, já quer matar alguém... Mas é sempre assim né? Não dá pra criar expectativa nenhuma, porque quando tudo dá errado, toda aquela energia positiva cai sobre si como 200t de lixo. Agora faltam trinta dias, e mais uma chance foi desperdiçada.

domingo, 21 de novembro de 2010

40 - Até o fim dos dias.

Não que eu queira transformar isso tudo num grande buraco em minha vida, mas, faltam 40 dias para acabar o ano, e, sinto como se ele não tivesse existido, isto é, os últimos cinco anos da minha vida tem sido realmente muito intensos, e agora, este foi decepcionante... Fiz dezoito anos, e passei o ano todo como se tivesse oito, vi minha melhor amiga apenas três vezes este ano, aliás, perdi o aniversário dela, não vi meus ídolos, mal vi meu amigos, ou meus colegas mesmo, perdi algumas coisas sobre o fim do Ensino Médio, atrasei um ano de estudo na minha vida, e pra acabar de vez comigo, o amor da minha vida esteve longe de mim o tempo todo... Um imã atrai o outro, mas se você o virar do lado errado, ele afasta a outra peça, eu estou virada do lado errado, e não sei como concertar isso. A contagem regressiva começou, por um lado, eu deveria estar aliviada, e pensar "nossa, graças a Deus, esse ano horrível está chegando ao fim.", mas, esse ano não pode virar sem nem ao menos eu O ver mais uma vez, sim, ele, aquele que toma conta dos meus pensamentos 24h, não importa em qual situação, ele está sempre comigo, mas só em meu subconsciente. Eu preciso dele aqui, em minha frente, de braços abertos, e sorriso largo, com seus olhos brilhando e seu perfume me drogando, assim, até o fim dos dias, até os fim dos dias desse ano...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Odiar você.

Eu odeio o poder do seu sorriso;
Eu odeio o descaso do seu abraço preguiçoso;
Eu odeio o fato de você saber de sua beleza;
Eu odeio perder meus suspiros por você;
Eu odeio sonhar contigo e não poder torná-lo realidade;
Eu odeio quando você está longe;
Eu odeio as borboletas que visitam meu estômago quando você se aproxima;
Eu odeio quando você não faz a barba;
Eu odeio as suas quintas-feiras;
Eu odeio saber disso tudo, e não conseguir odiar você...


... e não conseguir odiar você.

domingo, 14 de novembro de 2010

Quem você pensa que é?

Quem você pensa que é pra ordenar que meu coração pare apenas com o seu sorriso? Quem você pensa que é pra me deixar trêmula quando olha pra mim? Pra me deixar em estado de transe quando me abraça e me afoga em seu perfume? Quem você pensa que é pra invadir meus pensamentos 24 horas por dia, sete dias por semana, mesmo eu deixando claro que eu preciso me livrar de você? Quem você pensa que é pra eu deixar escapar meus suspiros? E derramar minhas lágrimas? Quem você pensa que é pra me tirar palavras que eu jamais pensei que diria a alguém? Quem você pensa que é pra me deixar tão profundamente triste quando está longe? Quem você pensa que é pra estar longe, afinal? Por que você se esconde? Por que não se desapega desse seu mundo e corre pra mim? Quem você pensa que é pra fazer suas piadinhas e me deixar completamente enciumada? Quem você pensa que é pra me dar um susto quando pensei que você tivesse morrido? Quem você pensa que é pra invadir todo o meu corpo e me fazer sentir sua presença mesmo ela sendo inexistente nas minhas noites solitárias? Quem é você pra me fazer sentir tudo no nada? Me fazer respirar no vácuo, me fazer correr mais rápido dentro d'água, me fazer voar com os pés plantados no chão? Quem você pensa que é? ... O amor da minha vida?

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Todas aquelas pontes.

Então, ela percebeu que andou quilômetros e passou em frente da mesma casa amarela com umas pessoas retratadas ao lado da porta marrom, de novo, e de novo. Ela andara em círculos, talvez, sempre adotava uma rua diferente para sair de lá, mas sempre assestava ao mesmo ponto. Ela andava e pensava o que faria quando saísse dali, por centenas de vezes, o rosto dele atormentava sua mente, ela sabia que ele a fazia mal, mas sempre soube que no momento em que se aproximassem, ela teria a melhor de todas as suas recompensas, mas isso nunca acontecia, ele nunca estava próximo, talvez seja porque ela nunca conseguiu sair da rua da casa amarela. Certo dia, ela bateu os pés no chão e decretou que conseguiria - e logo - sair dali, e conseguiria esquecer aquele rosto tão distante, então ela caminhava, caminhava, e caminhava, seus pensamentos se voltaram para ele, sempre, e cansada, percebeu que lá estava ela de novo, a casa amarela. Ela chorou, e não conseguia entender porque era sempre assim, uma voz lhe disse que ela teria que esquecer o rosto por completo, se desprender daquele mal, ela sabia disso, mas não conseguia, estava entregue demais, ela lutou para sair daquele inferno particular, mas não importava por onde passava, todas aquelas pontes a levavam para o mesmo ponto, todas aquelas pontes a levavam até ele.

domingo, 17 de outubro de 2010

No coração, e na pele!

Não vai ser isso que provará pro mundo que eu te amo mais do que qualquer um, eu sei, mas não quero provar pra ninguém mesmo, EU SEI o grau do meu amor por você, envolve respeito, carinho, atenção, zelo, gratificação, admiração, confiança... Você me ensinou, indiretamente, que nós não devemos JAMAIS desistir dos nossos sonhos, por mais absurdos que eles pareçam ser, jamais desistiremos, jamais baixaremos nossas cabeças e deixaremos ficar por assim mesmo, sempre nos "conformando"... Eu confio muito em mim, e nos meus sonhos, dentre eles, está o de estar perto de você algum dia, e eu sei que conseguirei, ninguém vai precisar me dizer que eu vou conseguir, EU SEI que vou, porque eu não vou me desviar desse caminho, estou seguindo suas pegadas, nenhuma chuva pode apagá-la. Eu sempre estarei aqui, como sua maior fã, desde 2006, quando quase ninguém daqui do Brasil sabia da sua existência, eu te amei desde lá, e esse amor não morrerá, eu já sabia que você estaria no meu coração pra sempre, mas na minha pele, eu decidi faz pouco tempo, e então, te guardei nela, eternamente. Obrigada por simplesmente existir, de alguma forma, você me ajuda no meu dia-a-dia, obrigada por me deixar emocionada toda vez que ouço suas músicas, obrigada por qualquer coisa que você faça, eu sei que você faz bem, só faz o bem, me faz bem, sempre, SEMPRE. Eu te amo, Hayley Nichole Williams, e isso ninguém jamais mudará, jamais tirará de mim, está na minha alma, e agora na minha pele.

[ foto da minha tatuagem pra Hayley, feita em 14/10/2010 - clique na imagem para vê-la ampliada ]

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Eu desejaria...

Eu desejaria ter você por mais tempo em meus braços, ter mais tempo pra te olhar nos olhos, ter mais força pra te abraçar, ter mais fôlego pra me manter viva enquanto estou perto de você. Eu desejaria ter palavras sempre a minha disposição pra conversar com você, na maioria das vezes elas fogem, talvez elas se sintam mais inseguras do que eu, se achando insignificantes, não sendo as palavras certas, ou suficientemente boas para que seus ouvidos poçam apreciá-las. Eu desejaria ter equilíbrio para não cair sob o efeito da minha droga preferida, o seu cheiro. Desejaria calma pro meu coração, e discrição para os pêlos dos meus braços, que se arrepiam a cada toque seu. Desejaria menos brilho pros meus olhos, assim eu conseguiria disfarçar um pouco, meu enorme encantamento por ter você por perto. Desejaria um despertador mental, para me tirar daquele transe que só ocorre com sua presença. Ahh, eu desejaria o tempo só pra mim, pra eu poder pará-lo quando achasse que fosse preciso, pra poder voltar e reviver bons momentos com você, para poder te ter sempre, sempre! Eu desejaria correr ao seu encontro todas as noites, e acordar com você todas as manhãs, eu desejaria tudo isso e um pouco (ou muito) mais, desejaria a minha maior felicidade e satisfação, desejaria você, desejaria jamais acordar do meu sonho.

domingo, 29 de agosto de 2010

As flores sou eu.

Não há mais ingenuidade em lugar nenhum, em momento nenhum, em pessoa alguma, o tempo está sempre passando e nos vendando, não nos deixando perceber mais do que nunca, que estamos morrendo, aos poucos, gritando por esperanças e sonhos, achando que tudo será melhor do que antes, mas essa impressão some conforme a realidade vai se aproximando a ponto de arrepiar cada pelo do nosso corpo. A beleza nos passa despercebido, e sempre achamos tudo tão estranho, fingindo ignorar mais uma noite sozinhos, buscando um anjo inexistente, mas ainda sim brilha, e lindo, e único dentro de nós, distante, escrevendo suas canções, e respirando mesmo sem poder, quebrando todas as regras. É perigoso assim. Quando você pensa apenas em você mesmo, é perigoso. Deixando-se levar pelo orgulho reprimido, orgulho de quê? A melhor coisa que poderíamos fazer é amar, mas hoje isso é um erro, como tentar voar sem acreditar, como plantar flores no concreto, ela não brotará, e se você for embora, ela não suportará e morrerá, porque é você o maior motivo pela qual vive, e é apenas você que poderá salvá-la, tirando daquele inferno particular, mostrando algo infinitamente bom, e levando-a para o lugar mais apropriado pra ela... ao seu lado. As flores sou eu.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

A perfeição do plano.

Visto que sua vontade será de fazer bem pra quem te faz bem, seus interesses mais egoístas estão em segundo plano, contrariando atitudes que considere desvios. Terá paciência para tratar até mesmo de pequenas questões, tudo terá sua atenção, uma vez que você se sente leve e disposto a dar-se para o conforto alheio, sempre tendo uma palavra de incentivo. Nada de se isolar, procure um lugar onde sua criatividade seja estimulada, desempenhando a força de vontade que tem dentro de si, provando que é capaz de apostar em seu intuito e ganhar! Excessos de pensamentos, ações ineficazes, só te afastam das coisas que quer. Dê a volta e fixe-se em uma direção, invista na perfeição do plano, veja através do que é abstrato e estranhe o que é concreto, torne seus sonhos realidade essa noite, enxergue a beleza de longe, respire e entenda que os subtítulos estrangulam a natureza das atividades humanas, ignore a imposição de quem vive numa ditadura de sentimentos, faça luz da escuridão, não é tarde para lutar, tem sempre um algo a mais do outro lado da porta, mas você só descobrirá se é bom, se abri-la. O bom da vida é saber aproveitar as coisas boas dela sem se deixar levar pelo exagero. Ou seja, hora de saber dosar as coisas! Ahhh, não deixe de viver essa vida louca! ;)

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Ligue o "f*da-se"!

Tenha cautela quando passar por esse caminho que você escolheu trilhar, saiba sobreviver a cada nascer do sol, saiba enxergar onde está seu objetivo antes que a noite caia. Descubra o que te faz feliz, encontre o seu dia e descubra o segredo da serenidade do ser humano. Observe em volta, ou nos olhos daquele que ama, note o diferencial, descubra porque ele brilha mais do que qualquer outro olhar. Saiba onde quer estar, lembre de boas maneiras, bons exemplos, bons dias, boas palavras, grite se for necessário, não se sinta só mesmo que esteja só, encontre o seu "eu" e sintonize-se com ele, viva com ele, converse com ele, desvenda-o, aprenda com ele, ame-o. Ouça uma música e não espere que ela termine pra entendê-la, colha flores, não diga "adeus", tenha tudo o que quer, sinta-se satisfeito, seja sempre bom no que sempre foi bom, vicie-se no que te faz bem, no que te trás paz. Não pense no fim da festa, conte uma história, localize a moral dela, faça absolutamente TUDO em apenas um segundo, você nunca sabe quando vai fracassar, e você não quer ter a impressão de que sua vida foi um lixo quando ela chegar ao fim, ligue o seu "foda-se" para a opinião alheia, se você anda com pessoas drogadas, não significa que você também seja, você sabe quem é, e faz o que julga ser certo, e se faz errado, sabe que é errado, apenas viva e alegre-se por ter uma vida, só você pode fazer valer a pena, não dependa dos outros, viva por você. Respire, chore, dance, sofra, corra, busque, viva sua vida de forma intensa, e sorria SEMPRE.

domingo, 8 de agosto de 2010

Ninguém saberá.

Nunca ninguém saberá, não enquanto você não expor, ninguém gosta de admitir, embora todos saibam o que se sente... Eu, você, e um monte de outras pessoas covardes neste globo terrestre, desejam contar como se sentem, ser verdadeiro com o mundo, sem esperar, sem ter que se explicar porquê demorou tanto pra dizer... É, nunca, ninguém, jamais saberá. Você encontra a pessoa que representa todas as respostas para todos os seus enigmas, mas não consegue decifrá-la, ela está tão longe, ou apenas simula estar longe, parece que quer estar longe... O que você pensa? O que deseja? Por que você precisa escalar uma montagem para alcançá-la, enquanto ela só precisa sorrir pra te conquistar? Como se diz "adeus" para alguém que você não consegue viver sem? Esta pessoa que você tanto quer, tem as respostas, mas nunca te dirá... É, nunca ninguém saberá. A não ser que você declare coisas boas, que faça seu coração pulsar, cante uma música, faça-a dançar, sintonize seu tempo com o dela, faça ela querer se matar por você, afinal de contas, você foi tão longe pra chegar aqui, hipnotizado pelo poder que ela tem sobre você, hora de ter sua gratificação, certo? Certo! Mas como? Ah é... Esta pessoa tem todas as respostas para suas perguntas, inclusive esta, mas ela nunca dirá... É, nunca ninguém saberá...

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Three o'clock.

O tempo não passa minuto por minuto adiante, a cada minuto é um minuto a menos de vida. Você nasce, e sem distinguir o grau de periculosidade do possível próximo ato, aciona o botão da contagem regressiva. Superar os imprevistos é uma das regras para o jogo de viver. Creio que de todas as loucuras inventadas pelo homem, o tempo é a mais absurda. É algo totalmente psicológico. Por que é que quando alguém quer muito algo ou alguém, o tempo teima em passar vagarosamente? E por que num piscar de olhos já se passaram duas horas enquanto se está do lado de quem se ama? O tempo é relativo. De quê? Não sei. Só sei que por mais desentendido que seja (ou que pareça ser), o tempo é algo bárbaro, ele faz com que todos o sigam sem nem ao menos perceber. A minha contagem regressiva fecha mais um ciclo hoje, mais três meses. Você pode não entender - e provavelmente não entende mesmo. -, mas acredite no quão terrível isso é. O mundo conspira contra as coisas boas, porque o mundo não é bom, ele é amigo do tempo, que também não é lá flor que se cheire. Mas chega desse papo... falar sobre o tempo é perda de tempo.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Sem destino mesmo.

Quem disse que o amor é belo, nunca teve um amor não correspondido. O amor é coisa de gente perdida, abandonada num globo de sentimentos, de quem não cansa de testar novos atalhos que os levem até o coração. Que coração? Que coração estúpido é esse que só te machuca, batendo sempre na mesma tecla, pulsando de forma incorreta? Seria bom se ele não existisse, se sorrir fosse produto de outro meio de viver, não o desfecho do trajeto do sofrimento, não vale a pena, não muda, só te arrepende, te faz querer regredir, a vida é tão curta pra renunciar tudo, e amar sem resposta. Difícil é tentar se mostrar pra alguém que não te enxerga, e esquecer que passou despercebido, que você não alterou absolutamente nada na vida de um outro alguém, daquele outro alguém... Você se desalinha dos planos da sua vida, querendo ser um ser ideal para aquele que seus olhos acusam ser o mais belo pra você, aquele que te faz chorar e ainda assim te deixa bem por dentro, só pelo fato de que você sabe que ele existe, e ao mesmo tempo te deixando frustrado por não ter dito tudo que queria quando se encaravam frente a frente. Corra todos os continentes sem destino mesmo, se a sua dor for achar que o mundo não é mais seu por não dizer todas as palavras que este mesmo mundo te ofereceu quando teve a oportunidade, prove o contrário, dê a cara a tapa, afinal de contas, você chegou até aqui, cansado e quase sem esperanças, mas está aqui, e voltar atrás não satisfaz o seu vício de amar.

domingo, 18 de julho de 2010

Extremo atrito.

Como um Deus grego, você surge pra mim, lindo, sorrindo, caminhando em minha direção, cabelos ao vento. Você segura minha mãe e meu coração vacila, por um momento me sinto constrangida e pensando "será que ele ouve o meu coração?", seu sorriso se alarga um pouco mais, como se pudesse ler meus pensamentos, esse seu lado assustador me encanta muito mais do que abala. Você aperta minhas mãos entre as suas como se quisesse dizer que não quer me largar, e isso é o que eu menos quero, qualquer distância entre nós. Com uma mão você me trás pra mais perto e me abraça, depois passa a outra mão por minhas costas, fazendo com que eu pouse minha cabeça em seu peito, e inspiro o seu perfume, dessa forma, considero o seu perfume a minha melhor droga. Você me balança como se quisesse dançar, mas não há som naquela rua, a não ser algumas vozes longe, risadas, alguns carros passando sobre o chão úmido da chuva que já havia passado. Eu balanço com você. E segundo depois nossos lábios se juntam de modo perfeito, despertando milhões de sensações diferentes, as melhores possíveis, e eu não queria mais estar em outro lugar, com ninguém mais, eu estava exatamente onde eu sempre quis estar. Eu estava preparada pra te olhar nos olhos com doçura e deixar que o silêncio falasse por mim, mas de repente "trimmmm trimmm!", o despertador soou desesperadamente e eu despertei do mais perfeito sonho, aquela foi a exata cópia da sensação mais real que eu já tive, mas de real, a única coisa que teve, foi a ação de arremessar o relógio em um extremo atrito dele com a parede. Infelizmente apenas isso foi real.

terça-feira, 13 de julho de 2010

O melhor lugar do mundo.

Esse sentimento nunca morre, apenas adormece, e quando resolve acordar destorce com toda minha vida que até então, estava pacificada. Apesar dessa revira-volta que você causa em mim, eu me sinto bem, é bom saber que depois de tanto tempo longe de ti, você ainda vive dentro de mim. Sempre achei que dizer que vivo por você seria mais uma frase clichê pra coleção, mas talvez isso seja mesmo real, foi você que fez meu coração estar mais vivo do que nunca hoje, é por você que dou meu sorriso mais franco, o suspiro mais perspicaz, é por você que corro quilômetros, que choro de saudade, que esqueço do tempo enquanto olho nossas fotos, é por você que faço poemas, que componho músicas, é de você que lembro enquanto ouço as mais belas melodias, e não me acho tola por isso, apesar da distância, você faz parte do meu dia-a-dia, inconscientemente, mas faz. Acho cafona essa melação de casais logo no começo do relacionamento, e pra falar a verdade, sinto falta dessa cafonisse, quero ela entre você e eu, e não me importo com o que os outros pensem, é real o que se passa aqui e é intensa a energia entre nós, essa é a essência, os arrepios, sussurros, toques, palavras, olhares, absolutamente singulares. Eu quero estar envolvida entre os seus braços mais um vez, e sempre, pois é esse o lugar que eu escolhi chamar "o melhor lugar do mundo".
04:28

sexta-feira, 9 de julho de 2010

O eco de som nenhum.

Imaginemos que eu fique longe pelos próximos seis meses, longe de tudo e de todos, todos aqueles que me odeiam, todos aqueles que me amam, e todos aqueles que não tem nada contra, nem a favor sobre mim, mas que eu sentirei falta. Imaginemos que eu fique fora por seis meses - ou do lado de dentro, dependendo do ponto de vista. -, o que muda? Mais algumas árvores sendo demolidas para a construção de um novo edifício, algumas imutações no solo por culpa das chuvas repentinas e violentas, as pessoas também mudam, mudam de objetivos, de endereço, de visual, mas eu, bem aqui dentro de mim, existe um sentimento que não se abala, ele não sai de dentro do meu coração, mas incha, fica maior a cada dia, e é desesperador saber que por todo esse tempo, esses seis meses, esse sentimento pode crescer muito mais, muito mais, de forma que não caiba mais dentro do peito, de forma que invada todos os outros sistemas do meu corpo, afanando o resto de sangue nas veias ou até mesmo o ar de meus pulmões, causando uma revolta em mim, uma rebelião, massacrando tudo que há de bom, levando consigo todas as melhores lembranças dos seus olhos e sorrisos, e deixando em mim uma grande, enorme, caixa de nada! Perdida no eco de som nenhum, vagando pelo escuro totalmente cega a procura de seus braços... por seis meses.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Distante demais.

Sair a noite e se sentir livre como um pássaro fora de sua gaiola, notar que a paisagem ganhou seus olhos, apreciar o vento batendo nos cabelos e perceber aquela mistura de paz e esperança dentro de si. Definitivamente você está em sintonia consigo mesmo. Então você pisa no solo e desce a rua pela calçada desigual, encontra as pessoas que disseram que estariam lá, avista, de um modo nada discreto, se aquele que faz seu coração desregular também está por perto, seus amigos estão todos lá, jogando conversa fora e bebendo, mas ele não. De repente parece que o mundo está conspirando contra vocês, só desencontros, mais uma noite perdida, desanimada, fria, é só uma noite qualquer...
Quando a paisagem ganha seus olhos mais uma vez, agora no amanhecer, você se perde em pensamentos sobre situações inexistentes e se lamenta por ter certeza de que se aquele contato desejado acontecer, será uma escolha sem volta, como um destino escrito há muito tempo atrás nas entrelinhas, como entrar para uma seita juramentada. Você se entrega de corpo e alma. Seu corpo continua do mesmo jeito de sempre, todos os pequenos defeitos e detalhes singulares, mas sua alma já não pode ser chamada de sua, pois a cada batida do seu coração, o sangue pulsa nas veias daquele que você almeja ter, e você se sente cada vez mais fraco, e mais fraco, distante demais para recuperar seu verdadeiro 'eu'. Algumas pessoas chamariam isso de loucura, eu prefiro denomilá-lo como... amor.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Uma voz.

JustificarDifícil não é andar de bicicleta, não é perder os quilinhos há mais que te aborrecem, não é se equilibrar numa corda no alto, difícil não é construir um robô, difícil é entender e lidar com as coisas do coração. É difícil quando você se sente dependente demais de algo ou alguém e ele não está lá, presente, consigo. É difícil esperar demais e ter de menos, é difícil contar pro seu melhor amigo - ou melhor amiga - o que você está sentindo e esperar que ele te entenda e oriente da melhor forma, porque ele tentará, mas jamais vai compreender o que se passa dentro de si, porque é totalmente singular, é totalmente seu, e ninguém pode ousar tentar decifrá-lo, porque ninguém está tão envolvido com isso tudo do que você mesmo. É nesse momento que você olha ao seu redor e pode enxergar todas as coisas do planeta, todas as árvores, todo o oceano, cada montanha... Porque não existem mais pessoas nesse mundo, você se sente só, é você no meio do nada buscando algo que não está lá! Mas uma voz te diz pra você nunca desistir e ser forte, muito forte, porque um dia as coisas sempre voltam pro lugar, e se essas coisas nem estavam lá antes para poderem voltar, elas chegarão com o tempo e trazendo consigo o calor da satisfação por você ter chego lá. Enquanto isso, continue respirando, por mais solitário que você se sinta, vai ter sempre uma voz te guiando, oculta e misteriosamente, mas acredite: é para o seu bem.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Expectativas.

A vida tem, por natureza, seus altos e baixos, e para sobrevivermos a ela aprendemos a lidar com essas mudanças. Quando estamos felizes demais, temos medo de que a vida dê uma reviravolta e nos traga a infelicidade, assim como quando estamos tristes e antes que percebamos, algo bom acontece e o seu estado de espírito muda. Devemos saber dosar nosso humor e com o dia-a-dia isso pode se tornar "rotineiro", isto é, estamos sempre tentando manter o controle sobre as coisas, mesmo sem perceber. Acontece que na vida existem surpresas inesperadas, e com elas, novas expectativas, é a partir daí que todo aquele nosso cuidado desmorona, ficamos impacientes e imaginando como será vivida essa tal surpresa, apressamos as coisas que não deveriam acontecer agora, sofremos por antecipação, o que pode levar a atos obsessivos que dominem nossa própria mente.
Mesmo sabendo destes riscos, é impossível evitar essas expectativas, são acontecimentos futuros que não saem de sua cabeça, não adianta! Respire, conte até dez, acalma-se e respeite seus limites, preserve-se, modere-se, guarde toda essa expectativa para que ela se transforme em energia positiva na hora e lugar certo... e viva!

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Está trancado.

Perda! Essa é a sensação. Odeio ter esses pensamentos vesanos que parecem ter vida própria, te levam pro mais longínquo possível de mim, faz você fazer coisas que eu não tolero considerar que possam, de fato, acontecer. Para cada coisa que eu faço, penso na sua aprovação - ou reprovação -. O mais inacreditável é que eu sei que você não sabe de toda a minha diligência, e mesmo assim, continuo com ela. Até porque, quando eu estou triste e preciso de um abraço, você nunca está lá para me acolher, eu por outro lado, se noto seu olhar 1% menos alegre, corro até você e faço o que for preciso para te ver sorrir. Se eu caio, você nunca está lá para me segurar, eu por outro lado, machuco a mim mesma para evitar que seu corpo atrite com o solo. Não estou pedindo para que você mude a rotina de sua vida para o meu bem, seria egoísmo e hipocrisia demais para uma pessoa só, mas... Não sei se posso mais com esses comentários, esses terceiros que dizem o que dão na cabeça, sobre você. Afinal de contas, eu nunca mais tive a chance de poder ter uma conversa aberta com você, e essa tua falta está se tornando tão "familiar" que o que os outros proferem, fica em mim. Uma nota maldosa me fere muito, e você nunca está lá para desmentir todas as piores palavras.
É, eu sei, talvez eu esteja exagerando, talvez não seja tão ruim assim, mas pra quem sofre como eu, um espinho pode se transformar num enorme triturador, fraturando todos os meus órgãos e matando de uma vez por todas, toda essa angústia.
Odeio ter que confessar que te amo, embora não me canse de dizer a mim mesma, e a você. Assim com eu odeio sentir esse amor, que não cala minha alma, mas me deixa sem fala... e está trancado a cadeados em mim.


O nome daquele lugar me lembra poeira, e te fantasiar por lá, por mais estranho que pareça o lugar, ele se embeleza, somente por receber o seu rosto que está decorado com os mesmos grãos finos e pretos do rosto de uma gata borralheira.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Eu acredito.

Clique na imagem para vê-la ampliada.




Eu acredito que em coisas pequenas, fúteis e consideradas sem importância. Eu acredito que o planeta ainda pode ser salvo, acredito que um ser humano possa viver com animais selvagens sem problemas, acredito que haja cura pro câncer e pra Aids mas que ainda não foram descobertas, acredito em múmias, acredito que haja vida inteligente fora da Terra, e que sejam até mais inteligentes do que nós, acredito na paz mundial, acredito em fantasmas, acredito que pra tudo na vida existe uma excessão, acredito na pureza das crianças, acredito que um dia a tecnologia estará tão avançada que deixaremos de viver pra que as máquinas façam tudo por nós, acredito no Efeito Borboleta da Teoria do Caos, acredito em reencarnações, acredito que o homem quando ama ele realmente ama. Acredito na luz no fim do túnel, no re-erguer do fim do poço, na volta por cima do viciado em drogas, na mudança de vida do ex-presidiário, acredito que existam políticos não-corruptos...
Acredito também que sonhos podem se tornar realidade, e que alguns deles até sejam confundidos com algo impossível de ser alcançado, mas que a gente só consegue se acreditarmos em nós mesmos e em nossa capacidade de transformar as coisas inalcançáveis em coisas muito mais próximas de nós do que imaginamos. E depois de ter ganho essa DM da Hayley Williams pela carta que escrevi (leia a carta AQUI), eu acredito... em mim!

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Letter To Hayley Williams.

Hayley, I'm writing this "letter", on behalf of hundreds of brazilian fans (and I'm sure of thousands of fans all over the world) who were speechless after last night's misunderstanding. But we stopped and analyzed the facts and we realized that... absolutely NOTHING changed.
You still are our "little princess" from Brick By Boring Brick, the reason of our joy when Misery Business was all over MTV and everywhere else, you still are the prettiest woman to us, the sweetest, the most fun, the happiest, the owner of a voice that heads the soundtrack of our lives... (me, particularly) Hayley, our love for you didn't change!
We will ALWAYS be by your side, and NEVER forget that: we are your TRUE fans, and we will always stand up for you whenever such a thing like this happens.
Don't let the bad comments bring you down, it'll only bring you more fame, but the words of true feeling you'll only find here in your fans.

Hayley, never got in our heads, we fail to love you for anything that happens... We love you very much and hope your coming to Brazil again!

I don't know when you'll read this (If you'll read this at all), but I know that these words were written with the biggest sincerity and we are trying to give you all the trust that you can get from us.
Thank you for existing, Hayley!

With love, your Brazilian Fans.

"Always know that you shine brighter than anyone does."
"You're my number one, you're my golden star."

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Pode acontecer.

E é realmente muito bom ganhar coisas que você não espera, e mais, que sejam além das suas expectativas. Devo dizer, a gente se esforça pra ter algo e se frustra quando não consegue, mas é maravilhoso quando você desiste por um tempo, depois... tenta de novo de uma forma menos crente, e consegue o que quer! Um filósofo basicamente "Schopenhauersista" disse que quando você acredita que seu dia será um caos e ele não é, a satisfação sobre ela é muito maior do que quando você já acredita que vai dar tudo certo. Devemos pensar que tudo na nossa vida vai desmoronar então? Mas isso não nos traria uma carga negativa sobre nossos próximos atos? Talvez você deva apenas... viver. Fazer as coisas que acha que deve fazer, e se certificar de que você tem a consciência de que ela pode acontecer - se não for algo totalmente impossível - e que pode não sair como o esperado, mas você estará sempre preparado para o sim e o não. Se as coisas não funcionarem como você deseja, é só tentar de novo, por que não? Mas se você obteve bons resultados, eu lhes peço: Agradeça, sorria, aproveite. Acontece, aconteceu!

domingo, 23 de maio de 2010

Fadas madrinhas NÃO existem.

Sempre me perguntavam o que eu pediria se uma fada madrinha me desse um desejo a ser realizado, e eu sempre respondi coisas materiais, como dinheiro, carro, mas hoje, parei e pensei, hoje tenho 18 anos, e me sinto velha, não pela idade em si, mas porque parece que eu não vivi, parece que passei minha adolescência agindo como se eu fosse criança, e agora que vou viver no "mundo dos adultos" onde tudo é sua responsabilidade, não poderei agir como uma adolescente. Se existisse mesmo uma fada madrinha, se eu pudesse mesmo pedir qualquer coisa pra que ela realizasse pra mim, eu pediria uma volta no tempo, voltaria aos meus 13 anos, e corrigiria tudo que fiz de errado, talvez mudasse o futuro drasticamente, ou não. Mas se tudo desse errado hoje, eu teria a consciência de que fiz tudo que deveria ter feito.
Sempre achei que "prefiro me arrepender do que fiz ao invés do que não fiz" fosse só mais uma frase clichê, mas, de fato, isso faz sentido. Perdi tanta coisa na minha vida porque tive vergonha, medo de que as coisas dessem errado, hoje sinto que passei momentos tão inúteis, onde a oportunidade de ter o que eu quero estava na minha frente, e deixei passar, se eu prestasse mais atenção nesses detalhes, hoje eu teria o que tanto luto pra ter, mas teria JÁ. Isso que luto pra ter eu luto HOJE pra vir até mim daqui há sei lá quanto tempo, é, eu podia ter me importado com essas coisas antes. Não vou dizer que é tarde, porque não é, mas agora vou ter que enfrentar problemas MUITO MAIORES, os quais eu poderia ter evitado, mas eu os enfrentarei, e sei que vou chegar até os meus objetivos, sempre com meus pés no chão, procurando desta vez não perder oportunidades, agarrar tudo com muita força, cada brecha, aproveitar cada segundo, cada abraço, cada sorriso, cada bronca, cada expectativa, frio na barriga, enfim, a fada madrinha não existe, meus desejos, eu mesma terei de realizá-los, agora eu vou viver.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Excessos.

Todas as canções que ouvi, senti, tudo que sorri, tudo que eu vi, quem abracei, todas as palavras ditas por ti, todas as pequenas broncas, os risinhos irônicos, todas as piores piadas contadas, as tintas gastas nas cartas, todas as fotos reveladas, todas as lágrimas derramadas, toda escapatória, todas as mensagens enviadas, todas as ligações feitas, e nenhuma resposta encontrada. Por uma brecha descubri dezenas de interrogações só sobre você, e entre um detalhe e outro, a decepção. E é bem nessas horas que bispamos o quão cego somos, porque a verdade está sempre lá te cutucando e nunca ninguém liga, pois não querem se frustras, então essa verdade se rebela e vem a tona, e toda aquela frustração evitada vem como outro tipo (ou outros) de sentimento, e acredite, ele não te faz bem. Sob o impulso do momento você alimenta essa sensação e só depois que alguma voz amiga te desarma, você percebe, já (talvez) tarde demais, a grande tolice feita. Apartir daí você se alto mutila - não no modo literário da coisa -, e tudo que há de ruim vem em excessos, mas você já está desligado o bastante para não mais se importar sobre qual rumo vai tomar a sua vida, e ela segue... Então todas aquelas canções que ouviu, sentiu, tudo que sorriu, tudo que viu, quem abraçou, todas as palavras ditas, todas as pequenas broncas, os risinhos irônicos, todas as piores piadas contadas, as tintas gastas naquelas cartas, todas as fotos reveladas, todas as lágrimas derramadas, toda escapatória, todas as mensagens enviadas, todas as ligações feitas, e nenhuma resposta encontrada se tornam uma regra. Essa busca excessiva de detalhes pode provocar o efeito contrário do que a compreenção, isto é, em vez de proporcionar a melhora do projeto ou do convívio, poderá tão-somente deixá-lo imerso em detalhes - e sem alcançar soluções efetivas.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Eu te veria - Parte III.

[Primeira parte de Eu te veria: AQUI. Segunda parte: AQUI.]

Pisei no chão e estremeci, acho que o nervosismo tomou conta de mim e cambaleei para fora do táxi. Arrumei minha postura obviamente desajeitada e atravessei a rua. Cumprimei os rostos conhecidos e conversamos baixo. Vira e mexe a porta principal se abria e nós avistávamos pessoas novas naquele cômodo. Seus amigos saiam constantemente pra fumar e nós trocávamos algumas poucas e rápidas palavras, só por educação. Até que finalmente eu o vi, enquanto a porta se fechava lentamente e sozinha por conta do vento, uma brecha entregava sua silhueta perfeita para mim. Meu coração bateu forte e, mais uma vez, sorri involuntariamente, e ele sumiu pelo corredor lateral.
Seus amigos saiam e entravam várias vezes e eles já nem falavam mais comigo porque eu sempre perguntava de você... Então tentei me distrair ao máximo, puxei assuntos vagos com todos alí presentes, só pra passar o tempo, e passou, assustadoramente, e percebi que eu teria pouco tempo por lá. Foi quando me desesperei de novo, e voltei a perguntar por ele. Meu coração deu sinal de vida logo que, novamente, ele apareceu pela brecha da porta, pronunciei seu nome do lado de fora, e alto pra que ele escutasse, sua sombra na porta de vidro se aproximou, ele pegou na maçaneta da porta antes que ela se fechasse, abriu o suficiente pra que ele pudesse passar, olhou pra mim... e sorriu. Foi a hora em que agradeci a Deus por ele existir na minha vida, e por me proporcionar tanta felicidade e outros mil sentimentos desconhecidos até antes de eu o ver sorrindo pra mim, só pra mim. Ele se aproximou e... Ganhei O abraço.


FIM.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Eu te veria - Parte II.

[ Clique AQUI para ler a primeira parte de Eu te veria. ]

Senti uma paz em mim avistando aquela paisagem celestial, parecia que todas as núvens estiveram congeladas para que algum pintor as transformassem numa obra de arte eterna, uma música calma tocava dentro de minha mente como se eu carregasse algum aparelho sonoro comigo para todos os lugares, em todos os momentos. Parei de olhar pela janela, parecia que eu sempre estava no mesmo lugar, me distrai vendo as outras pessoas alí presente, um bêbado em pé conversando com qualquer pessoa que o olhasse, um homem lendo seu jornal encomodado com o bêbado, duas loiras conversando sobre suas unhas, depois sobre seus trabalho, depois sobre seus namorados, e quando me encontrei olhei pela janela, e a escuridão da noite já tinha nos tomado. Fiquei incrédula, que horas eram? Não tinha relógio alí, nem comigo e nem com ninguém que se pudesse perguntar, só o senhor alcoolizado tinha um relógio com pulseira de plástico, resolvi então não saber o horário. Desembarquei e percebi que eu já estava muito além de onde eu deveria estar, e me desesperei, comecei a chorar pensando que eu nunca chegaria a tempo para o nosso abraço...
Tomei condução de um lado pro outro e desisti de tentar por esse meio, abri minha carteira e como NÃO de costume, eu tinha dinheiro a mais, balancei meus braços freneticamente para um taxi que se aproximava lentamente, ele estava procurando um lugar para estacionar, entrei, bati a porta e praticamente gritei o endereço do local. Passei as mãos no cabelo achando que todo aquele corre corre teria bagunçado-o.
- Você parece agitada, está atrasada? - Perguntou o taxista.
- É, na verdade eu deveria estar lá há uma hora e meia atrás... - Respondi desanimada.
- Ah tá, você tinha hora marcada, claro, está toda arrumada! - Ele sugeriu sutilmente.
- Erm... Obrigada... Não é nada muito importante (claro que era, eu ganharia aquele tão esperado abraço), só vou encontrar uns amigos... - Dei de ombros olhando as ruas pela janela.
- Humm, veio ver o namorado... - Adivinhou sorrindo malicioso.
Eu apenas sorri, corada de vergonha, e olhando para baixo.
- Chegamos! - Ele disse por fim, e meu coração congelou.
Eu estava no exato lugar, onde eu te veria... E ganharia aquele tão esperado... abraço!


[ Continua... ]

domingo, 9 de maio de 2010

Eu te veria.


A hora parecia não passar, então parei de me importar, até descobrir que eu estava atrasada. Calcei meu velho tênis vermelho e saí com a roupa que eu usara desde que terminara meu banho matinal e com o resto do batom vermelho em meus lábios, peguei o primeiro trem, nessa hora, eu só pensava em como seria o nosso abraço...
Durante o caminho, já encima da hora, me vi perdida em pensamentos vagos e mirava a estrada paralela aos trilhos completamente deserta, o sol já tentava se esconder atrás dos prédios acinzentados, eu suspirava. Meu coração batia cada vez mais forte, eu estava a caminho da morte, da morte daquela saudade, eu te veria, sorri sem medo e sem me preocupar com o que os outros passageiros do trem pensariam de mim, e eu só pensava em como seria o nosso abraço...
Pensei em fingir nem me importar com sua presença e esperar você vir até mim, pensei que ficaria meio paralisada-abobalhada logo que te visse, pois já fazia tanto tempo... Pensei em simplesmente sair correndo em sua direção e te abraçar num pulo cheio de giros e gargalhadas, pensei, pensei, e o sol já se afogava atrás das árvores distantes que víamos no horizonte. Fechei os olhos por um momento e inspirei um perfume familiar, olhei em volta, era apenas um senhor sentando com seu livro forrado com couro do outro lado do trem, mirei minhas mãos afim de encontrar algo para fazer, o tempo parecia parar novamente, mas olhei pela janela e o sol já não estava mais lá. Ainda sim podiam ser vistos rastros no céu, que provavam que aquele início de noite teve mesmo um dia. As núvens alaranjadas com uns tons rosados, e um pouco de cinza pela formação de uma possível tempestade noturna, o vento soprava frio, e eu só pensava em como seria o nosso abraço...


[ Continua... ]

sábado, 1 de maio de 2010

Por que você me ama?


"- Hey? - Ele chama. - Olha pra mim. - Eu olho. - Por que você me ama?
Putz, ele perguntou. Na verdade eu nunca disse claramente um "eu te amo", mas ele sempre soube que sim, eu o amava. Eu nunca pensei que ele poderia me perguntar o porquê que eu o amo. Eu teria de fazer uma espécie de declaração, não sei... Era tão cedo pra isso...
- Érm... - Tentei começar alguma frase qualquer e mirei minhas mãos cruzadas encima de minhas pernas.
- Olha pra mim? - Ele pediu docemente. E assim fiz. Abri a boca pra começar a responder, mas não saiu nenhum som. Ele arqueou a sobrancelha me encorajando a falar.
- P-porque... - Comecei. - Bom, é que... - Desviei meus olhos pra baixo mais uma vez. Ele tocou meu queixo com seus dedos e levantou meu rosto para que meus olhos encontrassem com os dele. - Eu... te acho incrível. - Disse pausadamente. - Você tem... todas as qualidades que eu sempre procurei e admirei em alguém. - Disse um pouco mais rápido e meu olhar saltava de um olho dele para o outro constantemente. - E acho que isso faz de mim uma pessoa completa, não sei... - Dei de ombros, e ele esboçou um minúsculo sorriso no canto dos lábios, corei de vergonha e quando ameacei olhar pra baixo, ele passou de leve seu polegar em meu rosto. - E por mais que... você não sinta nem um... décimo do que eu sinto... - Meus olhos marejaram, e os dele fecharam por alguns segundos, como se assim fosse mais fácil de compreender a absover minhas palavras, depois se abriram e encontraram com os meus mais uma vez. - Você me faz crer que você sente sim, tanto quanto eu... Por cada gesto seu, o jeito que você me olha, o seu beijo, o jeito como me abraça, e como toca meu rosto, - Então ele se deu conta de que ainda estava acariciando meu rosto com seu polegar, e sorriu. - o jeito como você sorri... - Sorri junto, e uma lágrima traiçoeira rolou livre sobre minha bochecha. - Eu não sei, mas eu sinto, e por mais errada que eu possa estar, ainda sinto... Que são gestos que... Só acontecem entre você e eu, como se nenhuma outra garota conseguisse te fazer ficar assim... Por mais que eu esteja enganada, e que você realmente não goste de mim nem um décimo do que eu gosto, você consegue me fazer acreditar que eu posso SIM estar certa. E de certa forma... Se enganar também é uma forma de amar alguém... - Disse essa última frase com a voz falha, de quem estava para começar um choro, outra lágrima caiu, ele as secou, fechou os olhos e encostou sua testa na minha e colou nossos narizes.
- É, eu... - Suspirou pesado. - Realmente não sinto por você um décimo do que você sente, é... muito mais forte do que você pensa que é. - Ele abriu os olhos e encontrou os meus, tão próximos, chorosos e apreensivos. - Você não estava enganada, você cogitou algo que poderia estar se passando dentro de mim e... Acertou. Talvez... Apostar num sentimento pequeno, também pode ser uma forma de amar alguém. - Sorri pelo canto dos lábios, e ele seguiu o movimento como um espelho, depois colou nossos lábios num singelo selinho. - Eu te amo."

domingo, 18 de abril de 2010

Minha cilada.

Eu entrei numa emboscada! Eu já nem sei mais o que pensar, o que fazer, como agir, eu já nem sei mais se consigo proceder, se tenho forças, se posso, se consigo, se devo seguir em frente. Eu acordo e lembro, o dia passa e eu lembro, antes de dormir eu lembro, não há nenhuma distração que me faça esquecer, um só minuto, um só segundo, é sempre assim, e quanto mais eu lembro, menos penso, minha cabeça se conturba cada vez mais, e um bilhão de pontos de interrogações dançam em meu cérebro. Tudo isso acontece e só me leva a um lugar (no caso, uma pessoa), e onde eu deveria encontrar minhas respostas é exatamente onde eu me perco, sempre, e cada vez mais profundamente. Eu quero me livrar desse sentimento, dessa ânsia, dessa angústia, eu quero poder sorrir de verdade, e encontrar o brilho dos meus olhos que eu não encontro há muito tempo, mas eu estou tão dependente, preciso tanto daquela motivação, preciso tanto, tanto mesmo... Eu entrei numa emboscada, uma cilada demonidada amor, e eu já não sei se posso afirmar que amar é algo bom, pois eu amo, logo sofro.

sábado, 17 de abril de 2010

Há males que vem para o bem.

Sempre dizem "por mais absurdo ou impossível que pareça ser o que você deseja, SONHE com ele", eu sonho, e muito, mas um fato essa semana fez com que caísse minha ficha sobre isso. Eu percebi que venho sonhando com isso há muito tempo, mas que é sempre assim, e que parece que será sempre assim, apenas um sonho! Acontece que o que eu almejo vai um pouco além do que a vida costuma me presentear raramente, e pode até ser mesmo absurdo, mas sei que não é impossível, porém as auras são mínimas de que o sonho seja perpassado para a realidade. Decretei então buscar a parte mais branda desse conto de fadas, não é totalmente satisfatório, mas já é algo, e aos poucos quem sabe, eu conquiste a parte mais complexa desse problema. O que eu estou tentando focalizar agora é que eu apenas preciso aproveitar cada segundo, e fazer as coisas que quero antes que eu não as queira mais, sem pensar muito nas consequências, antes que eu não possa mais alcançá-las, e caso não alcance, me conformar com o fato de que a vida é cheia de conquistas e fracassos, e que há males que vem para o bem.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Minha piada.


E eu que cogitei que estava me saindo bem com tudo isso, ah... sempre tem algo que me puxa pelo pé para a realidade. Eu não estou pedindo muito, e não que faça pouco caso sobre meus sonhos, mas é tão, tão... complicado entender. Sempre tem alguém de fora que passa as mãos em meus cabelos e diz 'calma, dê tempo, tudo vai dar certo', TEMPO? E eu vou depender logo do TEMPO? A vida é tão curta pra gente esperar pelo tempo que insiste em não ajudar, o tempo passa e você vai perdendo... Tempo (?) Ficar sentada esperando as coisas virem até mim realmente não facilitará, mas não é isso que eu estou fazendo, eu só estou... desistindo mesmo, sei lá, acho que minha vida está se tornando uma piada, e eu sou a única que não encontrei a graça nela, mas espero estar divertindo a muitas pessoas, pelo menos isso.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Addicted [Part II]

Fui colocando as roupas de qualquer jeito dentro da mala, eu não queria ter tempo para parar e pensar no que eu estava fazendo. Fechei a mala indo até o banheiro e pegando alguns objetos essenciais e os coloquei no bolso da frente. Carreguei a mala com um pouco de dificuldade até a sala. Ele estava parado de frente para a janela com as mãos no bolso e a cabeça baixa. A única coisa que eu desejava era que ele me dissesse a verdade e me fizesse mudar de idéia. Era só o que eu precisava.
Mas ele não o fez.
E a única coisa que eu consegui fazer foi segurar meu choro e abrir a porta do apartamento.
- Se você sair desse apartamento agora... - A voz dele fez meu coração acelerar. O olhei ainda segurando a maçaneta da porta. - Não precisa se dar ao trabalho de voltar. - Ele falou com a voz quebrando no final. Despedaçando igual ao meu coração.
Tive que lembrar como respirar para conseguir me manter firme.
Ele não se virou, e nem falou mais nada. Eu também não ia olhar pra trás.
- E eu não vou. - Falei tão baixo que tive certeza que ele não ouviu.Abri a porta e saí do apartamento.

sábado, 13 de março de 2010

Danny e Ellisa.

‘Danny?!’ Perguntei depois de um tempo.
‘Oi.’ Ele respondeu calmo.
‘Você ligou pra ouvir minha respiração?’ Falei rindo baixinho.
‘Foi.’ Ele respondeu rindo também e eu fiquei sem graça. Pensei em falar alguma coisa, mas deixei que o silêncio prevalecesse mais uma vez.

‘Um filme.’ Falei tentando quebrar o silêncio que já estava me incomodando. ‘Diz a primeira coisa que vier na sua cabeça.’
‘Ok! De Volta Para o Futuro.’ Ele falou com convicção.
‘Uma cor.’
‘Azul.’
‘Uma qualidade.’
‘Hm...eu sou um bom pai, não sou?’ Ele riu.‘Acho que sim.’ Falei brincando. ‘Um objeto.’ Continuei.
‘O porta retrato do meu criado mudo.’ Ele respondeu, e na mesma hora e eu lembrei quando ele disse que a foto que eu tinha lhe dado no hospital ficava no criado mudo ao lado de sua cama.
‘Uma frase de alguma música.’ Falei balançando a cabeça para afastar meus pensamentos.
‘Can't you see that I wanna be, there with open arms. It's empty tonight and I'm all alone, get me through this one.’ Ele cantou baixinho Letters To You do Finch e eu senti uma vontade imensa de chorar, mas não podia fazer isso. Suspirei e segui em frente.
‘Um sentimento.’
‘Culpa.’ Ele falou baixo e eu senti uma pontada no peito.
‘Uma palavra.’ Falei devagar.
‘Desculpa.’ Ele disse em meio a um suspiro.
‘Uma certeza.’ Falei de olhos fechados já sentindo algumas lágrimas teimosas rolarem por meu rosto.
‘A de querer você só pra mim e pra sempre.’ Ele respondeu baixo e de uma forma triste enquanto eu sentia meu coração querer sair pela boca. Fiquei em silêncio apenas ouvindo sua respiração pesada.
‘Danny.’ Falei baixo me ajeitando embaixo do cobertor.
‘Oi.’ Ele respondeu com uma voz cansada.
‘Me lembra amanhã que isso não foi um sonho?’ Me senti boba falando isso, e ele riu baixo.
‘Lembro, pequena. E mesmo se fosse um sonho...’ Ele parou um instante. ‘Eu tornaria realidade pra você.’ Ele completou e eu sorri idiotamente.
‘Danny.’ Falei o nome dele pela milésima vez.
‘Meu nome soa mais bonito com a sua voz.’ Ele falou rindo.
‘Danny.’ Repeti e nós rimos. ‘Boa noite.’ Falei mais baixo já com os olhos fechados.
‘Boa noite, Ellisa.’ Ele falou tão baixo quanto eu. Suspirei e desliguei o telefone.
‘Eu te amo.’ Sorri comigo mesma desejando que ele tivesse dito a mesa coisa.


Addicted ♥

sexta-feira, 12 de março de 2010

Gente.

"Somos uma geração que perdeu o privilégio de não fazer nada, aquele doce não-fazer-nada que é a mansa hora de repouso, o embalo da rede na frescura de uma varanda, a quietude ensolarada de um pomar em que o sono da tarde nos pegou de repente, a hora de armar brinquedos para as crianças, das visitas que chegam sem se fazer pronunciar, pois na certa estaremos em casa para uma conversa despreocupada e sem objetivo. Somos uma geração de mulheres que saem demais de casa, para trabalhar ou para se divertir, e perde metade da vida indo ou vindo para não se sabe onde, fazendo fila para comprar, tomar condução ou assistir a um cinema. Perdemos o abençoado tempo de perder tempo, de não fazer nada, a única hora em que a gente se sente viver. O mais é canseira e aflição de espírito.
E foi tudo isso que reencontrei, de repente, na casa grande e branca da rua quieta."


[ Trecho da crônica "Gente" de Elsie Lessa ]

terça-feira, 9 de março de 2010

Ser Impotente.

Ser impotente é não ter forças para exceder a linha que separa o que é basicamente aceitável do lado insano. É não correr riscos porque sabe que o planejado pode não sair como o esperado, não ter forças nem para tentar e assim, entrega o jogo, deixa passar... Ser impotente é ser incapaz de concluir algo pelo qual você desejou ter ou fazer há certo tempo, ter oportunidade para isso e debilitar-se. É voltar pra casa e pensar no quão inútil foi sua não-atitude, é sentar na cama e pensar durante horas sobre o porquê de seu fracasso, se sentindo a pessoa mais frustrada do mundo e suplicar para voltar no tempo e fazer diferente, dar um toque de realidade naquilo que só era possível acontecer em sonho. No dicionário, ser impotente é ter 'incapacidade masculina para o ato sexual', isso se resolve com uma pílula. Mas e pra quem é mulher, e não tem esse tipo de impotência? Impotência moral. Tem remédio? Tem?Eu sei que a solução se encontra numa caixinha trancada no fundo de nossas almas, cuja chave está mais próxima de nós do que imaginamos, mas estamos cegos demais para enxergar, e basta esticarmos nossas mãos e apalpar a ocasião favorável para desvendar os mistérios contidos no tal receptáculo. E ser alguém forte, recuperar a tal potência.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Feliz aniversário, Danilo Valbusa. ♥


E mais uma vez, um ciclo da sua vida se conclui. Pela 23ª vez. Foram todos construtivos pra você, e de certa forma pra mim, pois os 22 anos anteriores te prepararam para que você fosse esse homem de hoje. São 23 anos muito bem vividos, e hoje você já pode se considerar maduro o suficiente pra saber o que é viver. Não que você esteja velho, muito pelo contrário, você ainda é uma criança, uma criança grande, uma criança doce, uma criança que amo. Eu agradeço eternamente por aquela pizzaria maldita chamada Santa Fé existir, apesar do lugar em si, foi alí que tudo começou, se não fosse pelos shows de vocês lá eu teria perdido muito tempo desconhecendo vocês. Lembro que quando comecei a gostar de Cine meu preferido era o Bruno, mas eu nem falava com você, eu lembro do dia em que chamei por todos e você foi o único que se virou pra mim e sorriu. Sorriu com essa sua boca cheia de dentes, sorriu encantadoramente e, é... Ganhou meu coração alí! Desde então percebi que a beleza depende dos olhos de quem vê, e de como se vê, você é lindo por fora, mas é incrivelmente maravilhoso por dentro, e sempre arranja uma forma de me fazer suspirar mais uma vez! Esse seu jeito de olhar, de falar, de sorrir, de brincar, esse seu jeito tímido de se explicar quando eu te dou uma pequena bronca construtiva sobre sua vida virtual, TUDO me toca em certo aspecto. Só tenho mesmo é que agradecer por você ser assim Dan, do jeito que você é, do jeito que sempre foi, e torcer ardentemente pra que você permaneça com essa grandeza dentro de si, é desse jeito que se conquista as coisas, e eu sei que você quer e pode ir mais longe, e eu estarei sempre aqui fazendo a minha parte, jorrando toda a minha força positiva pra você. Espero que você seja feliz, da melhor maneira possível, espero mesmo!
Boa sorte, que você encontre sua paz, que você tenha conforto, dinheiro no bolso, saúde, alegria e harmonia por onde passar, que você possa sempre ter um motivo pra sorrir, que você supere qualquer desafio que lhe aparecer, eee... Que você nunca esqueça de mim, a garota do desenho, aquela que às vezes aparece e parece que nunca mais vai embora, a mesma que às vezes some e quando reaparece gruda em você pra um abraço de vinte minutos. Não se esqueça de mim, e não esqueça o quanto eu te amo e quero o seu bem!

Parabéns, feliz aniversário, Danilo Valbusa!
Eu amo [demais, amo muito] você.
(LLLLLLLLLLLL...







"Because every breath that you will take while you are sitting next to me will bring life into my deepest hopes."

{ Your Call - Secondhand Serenade }

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Curiosa.

Era uma vez uma garota curiosa que foi conhecer novos lugares. Numa dessas ela conheceu novas pessoas, dentre elas uma se destacou. Essa pessoa fascinou a menina curiosa porque essa pessoa era doce, sutil, tímida, uma pessoa bonita. Então a garota curiosa passou a encontrar sempre e cada vez em períodos menores de tempo de espera a pessoa maravilhosa que conhecera há algumas semanas, e a cada encontro ela se mostrava mais atraente. A cada encontro também a garota descobriu novas excelências e descobriu que uma corrente elétrica passava por seu corpo a cada vez que a pessoa sorria ou a tocava, a garota ficou quase dependente da tal pessoa. Ligava pra ela quase todos os dias, mas em sua maioria não o encontrava em casa. A garota passou a pensar em mil e uma possibilidades de perder essa pessoa. Pensou que ela estaria por aí com seus amigos se divertindo, pensou que estaria por aí com um alguém que ela ame. Pensou, pensou, e não chegou a lugar nenhum. Começou a desanimar sobre a pessoa maravilhosa, e mesmo sabendo que por mais próxima que ela estivesse, mais longe aparentava estar, a garota continuou se encontrando com a tal pessoa. "Eu gosto muito de você". "Eu também gosto MUITO de você". A garota quase acreditou que fosse sincero e uma expectativa inútil nasceu dentro dela. A garota sonhou com aquela pessoa, sonhou de novo, fez planos, revelou fotos, escreveu cartas, enviou torpedos, achou que estava tudo bem. Mas o que ela pensou que estava bem não estava nem lá. Estava ausente como sempre e ela só alimentava sua imaginação trazendo consigo imagens de um futuro nada próximo ou inexistente. A menina chorou, seu coração se apertou, um buraco dentro de si se instalou, um suspiro pesado ela soltou, seus olhos ela fechou, suas mãos com força ela entrelaçou, para um Ser Maior ela implorou para que um dia a pessoa maravilhosa fosse sua. O Ser Maior ouviu, mas a garota curiosa espera, só espera, tendo a certeza de que a curiosidade matou o gato, hoje a garota 'vive morta' e só a pessoa mais maravilhosa do mundo poderia ressuscitá-la. Um mês depois, e nem as máquinas a manteriam viva. E o que aconteceu?Adeus menina curiosa.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Amar é...

Se alguém soubesse a intensidade pela qual aperto meus olhos e expremo meus dedos entrelaçados quando penso em você, se alguém entendesse e sentisse um terço do que sinto... Julgar é tão fácil quanto mentir. Manter sua retidão é se unir a verdade, e usá-la para o bem se desculpando quando ela te fere e fere terceiros. Deduzir precipitadamente uma opinião sobre atos e palavras ditas por outras pessoas sem ao menos tentar entendê-las é construir em volta de si um imenso muro chamado senso comum. Esse muro não me cerca, eu tenho uma visão ampla e uma diversidade de permissões sobre defeitos e qualidades quanto aqueles que vivem comigo ou quem eu apenas quero que viva. Amar não é gostar muito de alguém, é senti-la mesmo quando ela está longe. É escrever o nome dela sem nem ao menos perceber e só notar minutos depois e se perguntar como aquele nome foi escrito com sua caligrafia sem nem ao menos você se recordar de ter feito. Amar é torcer pela felicidade do amado, é sentir sua ausência e se sentir menor, fraco. Fraco, não fracassado. Amar é saber abrir mão da pessoa que se ama para que ela ame um outro alguém, é sofrer em silêncio por ela, mas encontrar um sorriso no meio do abismo da infelicidade. Amar é correr riscos, e fazer alguns sacrifícios. Quem disse que amar é bom nunca teve decepções amorosas. Eu já tive, e posso afirmar que amar é pra quem tem jogo de cintura, tempo livre, muito ar nos pulmões, bons olhos, e um coração forte, já que é ele que domina seus atos para com quem se ama, ultrapassando o poder da massa esquecida dentro de seu crânio, denominada cérebro.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

We'll make it last forever.


DIVA MAIOR DE TODOS OS TEMPOS! Encanta meus dias com sua voz desde junho de 2006! Eu lembro do dia em que eu estava numa comunidade de bandas desconhecidas e uma garota indicava Paramore em todas as páginas do tópico, de tanto que li acabei ouvindo pra ver se era tudo aquilo que a garota dizia em sua propaganda, me disseram uma vez que a curiosidade matou o gato, mas se eu não fosse curiosa o suficiente aquele dia, esse amor não teria nascido. Viciei nas únicas três músicas que estavam disponíveis no PureVolume da banda e eu até me lembro da primeira foto que vi, tão linda, e na antiga formação, ainda com o Hunter na guitarra. Depois fui procurar os clipes e na época só existiam Pressure e Emergency, viciei de forma descontrolada e desde então você e o Paramore são meus vícios, os maiores, melhores e mais saudáveis vícios! Eu lembro quando a Born For This saiu no site, a primeira faixa do "Riot!" a ser divulgada e eu ouvi no mesmo dia, e as semanas passavam e vocês ficavam um pouco mais conhecidos por aqui. Até que vocês lançaram o clipe de Misery Business e derrepente todo mundo já amava Paramore! *o* Fiquei com ciúmes, eu sempre achei vocês TÃO MEUS, detestava ouvir uma pessoa que nem sabia quem eram vocês antes, agora dizer que você, minha diva, agora era "a razão da vida" dela e de tantas outras, mas passei por cima desse meu pensamento egoísta, se não fossem esses novos fãs vocês nem teriam vindo pro Brasil em 2008, e se isso não tivesse acontecido, eu nunca poderia dizer "o melhor dia da minha vida foi 23/10/2008!", sem contar que agora você está mais do que realizada, e sua felicidade Hay, também é a minha, porque eu torço por tudo que você quer, você merece toda essa alegria e muito, muuuito mais! Eu te amo, e SIIIIM, você é MUITO minha vida! Muito mesmo! Me inspira desde 2006, quando quase ninguém sabia da sua existência, quando a comunidade do Paramore só tinha um pouco mais de 4 mil membros eu já amava você! Obrigada pelo simples fato de existir! De fazer parte da minha vida de certa forma, obrigada por trazer a mim a trilha sonora da minha vida. Você e sua banda serão sempre muito meus, sempre minhas paixões! Muita, muita, muita felicidade pra você, minha musa! EU TE AMO HAYLEY NICHOLE WILLIAMS! Diva maior de todos os tempos, de todos os países, de todos os gostos, de tudo e de todos, sempre a melhor! WE'LL MAKE IT LAST FOREVER! (LLLLLLLLL...

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Sempre minha melhor.


Nunca me senti tão distante de você como nas últimas semanas, ou devo dizer 'últimos meses'? Ou devo dizer ainda, 'últimos dois anos'? Tenho você comigo desde novembro/dezembro (quando começamos a nos falar) de 2005, e enfrentamos os ciúmes que tínhamos da Patrícia, da outra Priscila, da Jéssica, da Thayná, enfrentamos o garoto pela qual nós duas nos apaixonamos, enfrentamos a mudança de escola, as novas amizades, os novos namorados, os novos compromissos, novos empregos, novos cursos, novas e diferentes rotinas, não éramos mais a Anne e a Priscilinha que voltavam antes do horário da escola e passavam vários minutos rindo jogando video-game na sua casa, não somos as mesmas que iam e voltavam juntas pra aula, que lanchava juntas, que cantavam SOAD juntas, que riam juntas, que saiam juntas, não sei mais nenhum segredo seu, nem você sabe o que eu tenho sentido, passado, sofrido, ganhado, perdido, realizado, estamos distantes agora. Você encontrou novas amigas, e eu tenho certeza que hoje elas sabem bem mais sobre sua vida com seu namorado e família do que eu, que até então era (e espero ainda ser) sua melhor amiga. Não mandamos depoimento de feliz natal, nem de feliz ano novo, aliás, nem nos vimos esse ano, não ligamos uma pra outra, nem mandamos recados no orkut, nada. Você diz que eu te esqueci, mas "esquecer" é uma palavra muito forte, é óbvio que eu não te esqueci, poxa, você sempre foi e tenho certeza que sempre será a amiga que eu mais confiarei. Todas as minhas atualizações de fotos do orkut com fotos de amigos, você é logo incluida, e tá, eu sei que parece pouco, mas é só uma prova de que eu lembro SIM de você, e sinto sua falta. Você se entregou demais pro seu namorado, e eu me entreguei demais pra essas correrias atrás de bandas, e esquecemos que o que temos de mais sincero está há duas ruas de distância.Enfim... O que eu poder fazer pra recuperar aquela amizade insana que tínhamos, eu farei. Não serão bateristas, guitarristas, namorados, Dannys e Marílias que tirarão você de mim, eu te amo.Você sempre será minha melhor, Priscila Akemi Inada. (L)
- FOTOS:
Esquina da sua casa / Rua da escola / Ibirapuera / Shopping Market Place / Toca do Açaí / Sua casa.


{ Meus Amigos - Sugar Kane }

"Construir seus ideais pra ser feliz, sem precisar mudar seu jeito de conviver, continuar a escrever a nossa vida."


xx

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Saudade.

E eu que sempre achei que a inveja e o egoísmo eram os piores sentimentos do mundo. É, são ruins, mas hoje eles têm um peso menor, hoje eu conheci a maldita saudade. Não tem coisa pior do que olhar pra qualquer coisa e lembrar de algo ou alguém, pegar o telefone e querer discar aquele número que se sabe de cor, ver aquelas fotos, sentir aquele perfume, escutar aquela música, e TUDO te leva ao mesmo ponto final. A falta que eu sinto passou do estágio 'insuportável' e hoje ele me amedronta, ele me fere, me diminui, me infelicita, me mata, é uma falta inexplicável, inevitável, é uma dor, a pior dor. Imaginar o que ele pode estar fazendo agora, se ele está bem, se precisa de ajuda, se precisa de alguém, se precisa de mim. Essa ânsia de saber como ele está dói, inferniza a alma, a mente, e tortura todo o meu ser. E a cada instante, cada minuto, cada hora, cada dia, cada semana longe dele, aumenta-se um buraco negro dentro do seu próprio corpo, e cresce, apenas cresce. E diante de todo esse auge do desespero, me bate aquela dúvida de como vai ser quando eu o ver de novo. A saudade que só aumenta só me faz ter aquela impressão de que o verei pela primeira vez, quando na verdade eu só o verei de novo, depois de um longo tempo distante. Aquele frio/borboleta na barriga vai voltar, eu sei. Assim como eu também sei que o abraço que eu o darei será o mais longo e sincero de todos, apenas para compensar todo o tempo que perdi longe dele. Só de olhar nos olhos dele, ouvir sua voz singular, tocar sua pele... Ah, não há recompensa maior para a saudade! Espero estar menos ansiosa por esses dias, pois ela só diminui meu tempo de vida.